Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Alguns Temas Fundamentais

A Existência do Deus Pai, Filho e Espírito Santo

Deus

Na Igreja de Deus Ministerial de Jesus Cristo Internacional, professa-se a existência de Deus, o Deus criador, O que fez os céus, a terra e tudo o que há nela.

Nesse Deus que não tem princípio e nem tem fim, que é o Primeiro e o Último, o Alfa e a Ômega. No Deus do qual fala a Bíblia, Livro de Livros inspirado por Ele mesmo, mediante o seu Santo Espírito, e que usando a boca e a pena dos servidores de Deus a través do tempo, chegou hoje, compilado até os nossos dias.

Aponta a Escritura em Deuteronômio 6

4 Ouve, Israel: O SENHOR é nosso Deus, é o único SENHOR.

Sobre esse mesmo Deus, sendo um com Ele, se referiu o Senhor Jesus Cristo em Marcos 12.

29 Jesus respondeu-lhe: O mais importante é: Ouve, Israel: O SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR.

Trata-se então desse Deus, que é Pai, Filho e Espírito Santo, e acreditamos que Ele é e existe, e que é galardoador dos que o buscam, como o indica em Hebreus 11.

6 Sem fé, é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que é galardoador dos que o buscam.

Esse mesmo Deus deu a entender aos homens, que a sua pluralidade e divindade era evidente, desde os primeiros versículos da Bíblia, quando indica que eles três, estavam presentes na criação mesma de todas as coisas. Dessa forma, o livro de Gênesis o faz saber, inclusive desde o seu primeiro capítulo.

26 Então, disse Deus: Façamos o homem à Nossa imagem, conforme Nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se move sobre a terra.

Ou quando com o intuito de desfazer as pretensões dos homens na terra de Babel, se manifestou ali confundindo a fala dos seres que tinham começado aquela obra, como ficou escrito em Génesis 11.

6 Disse o SENHOR: Eis que o povo é um e todos falam uma só língua; e começaram a obra, e nada agora lhes fará desistir do que pensam fazer. 7 Agora, pois, desçamos e confundamos ali sua língua para que ninguém entenda a fala de seu companheiro.

Mas essa preciosa verdade, também é colocada em evidência no Novo Testamento, quando o Apóstolo Paulo, ao dar conta da Grandeza do Altíssimo Deus, se refere a Ele na Primeira carta aos Coríntios, quem sendo um, faz multiplicidade de operações.

4 Ora, há diversidade de dons, porém o Espírito é o mesmo. 5 E há diversidade de ministérios, mas o SENHOR é o mesmo. 6 E há diversidade de atividades, mas Deus, que efetua todas as coisas em todos, é o mesmo.

Portanto é um só Deus, mas é Pai, Filho e Espírito Santo.

O Pai

Referindo-se ao Pai, a Bíblia, por citar só um dos muitos exemplos, o destaca de formosa maneira, com toda poesia e beleza, como o Ancião de Dias, em Daniel 7.

9 Eu continuei olhando até que foram postos uns tronos, e se assentou um ancião de muitos dias, cuja veste era branca como a neve, e o cabelo de sua cabeça como a lã limpa; seu Trono, chamas de fogo, e as rodas dele mesmo, fogo ardente. 10 Um rio de fogo brotava e saía diante dele; milhares e milhares O serviam, e miríades de miríades estavam diante Dele. O juiz assentou-se e os livros foram abertos.

Ou como não lembrar a visão de Isaias, que no capítulo 6, nos relata o momento no qual recebeu o chamamento de Deus, sem se proclamar a si mesmo profeta do Senhor, senão sendo tomado pelo Senhor, pela iniciativa Dele, para por as Suas Palavras em Isaias.

1 No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi o SENHOR assentado sobre um Trono alto e sublime, e a orla de Seu manto enchia o Templo. 2 Acima Dele havia serafins; cada um tinha seis asas: Com duas cobriam seus rostos, com duas cobriam seus pés, e com duas voavam. 3 E um falava ao outro, dizendo: Santo, Santo, Santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia de Sua Glória. 4 Os batentes das portas estremeceram com a voz dos que clamavam, e a casa se encheu de fumaça. 5 Então, disse eu: Ai de mim! Estou perdido! Porque sendo homem de lábios imundos, e habitando em meio a um povo de lábios imundos, meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos.

Esse é Deus, Jeová é o Seu Nome, Jeová dos Exércitos, o Poderoso na batalha, o Forte, o Sublime Deus, o único Deus, e não há nenhum outro como Ele, tal como expressa Isaias no capítulo 44.

8 Não temais, nem vos assombreis; não vos fiz ouvir desde a antiguidade e não vos disse? Vós sois Minhas testemunhas. Não há Deus além de Mim. Não há outra Rocha; não conheço nenhuma.

 

O Filho

Junto com Deus, no Princípio, estava o Filho, em toda a criação do que hoje os nossos olhos veem. Em Gênesis 1  se observa, quando ao referir-se espiritualmente à Luz, que posteriormente haveria de tomar carne, em nosso Senhor Jesus Cristo, diz:

3 E disse Deus: Haja luz; e houve luz. 4 Viu Deus que a luz era boa; e separou a luz das trevas.

Não faz referencia à luz material que chega até nós primeiramente desde o sol, porque ao respeito dela, mais adiante, no verso 18 do mesmo capítulo, fala nesses termos:

18 para governar o dia e a noite, e para separar a luz das trevas. E viu Deus que era bom.

Isso é corroborado quando em João 1, a Bíblia também o aponta:

1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. 2 Esse estava, no princípio, junto a Deus. 3 Todas as coisas foram feitas por meio Dele, e sem Ele nada do que foi feito se fez. 4 Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. 5 A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a dominaram.

Trata-se então de um Plano estabelecido por Deus desde antes da fundação do mundo, quando espiritualmente, entre o Pai e o Filho, já estava concertado um contrato, um pacto entre eles, para nos dar acesso à salvação, à vida eterna, segundo a sua Obra Redentora na cruz do Calvário.

Todo o capítulo 53 do livro do profeta Isaias, é dedicado à Obra Redentora de nosso Senhor Jesus Cristo, anunciada, desejada e consumada em quem, com o temor de Jeová, o viram e acreditaram na mercê do Altíssimo por meio do Salvador.

1 Quem deu crédito à nossa mensagem? E a quem se revelou o braço do SENHOR? 2 Cresceu como um broto diante dele, e como raiz de uma terra seca; não há aparência nele, nem formosura para que olhemos para Ele, nem atrativo para que nos deleitemos nele. 3 Era desprezado e rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado no sofrimento; como um diante de quem se esconde o rosto, era desprezado, e não o estimamos. 4 Certamente, Ele levou nossas enfermidades e suportou nossas dores; e nós o tivemos por castigado, ferido de Deus, e abatido. 5 Mas Ele foi ferido por nossas transgressões, e moído por nossos pecados; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e por suas feridas fomos curados. 6 Todos nós andamos desgarrados como ovelhas; cada um se afastou por seu caminho; mas o SENHOR fez recair sobre Ele a iniquidade de todos nós. 7 Foi oprimido e afligido mas não abriu Sua boca; como um cordeiro que é levado ao matadouro, e como uma ovelha muda perante seus tosquiadores, tampouco Ele abriu Sua boca. 8 Da prisão e do juízo foi tirado; e Sua geração, quem a contará? Porquanto foi cortado da terra dos viventes, pela rebelião de Meu povo Ele foi ferido. 9 E puseram Sua sepultura com os ímpios, mas com o rico em Sua morte; porquanto nunca fez maldade, nem houve engano em Sua boca. 10 Com tudo isso, o SENHOR quis quebrantá-lo, sujeitando-o ao padecimento. Quando se puser Sua vida em oferta de expiação pelo pecado, verá descendência, viverá por dias prolongados; e o prazer do SENHOR prosperará em Sua mão. 11 Verá o fruto da aflição de Sua alma, e ficará satisfeito; com Seu conhecimento justificará o Meu servo justo a muitos, e levará as maldades deles. 12 Por isso, Eu lhe darei parte entre os grandes, e com os poderosos repartirá despojos; porquanto derramou Sua vida até a morte, e foi contado com os transgressores, havendo Ele levado o pecado de muitos, e intercedido pelos transgressores.

E também no Salmo 40 é confirmado pela Palavra escrita de Deus.

7 Então disse: Aqui estou; no rolo do livro está escrito de mim;

Dessa forma, sendo como é, o Unigênito do Pai, deu-se a si mesmo por nós, para nos dar acesso a essa Salvação tão grande, tal qual como o refere o Evangelho segundo João, no capítulo 3.

16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu Seu Filho unigênito, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. 17 Porque Deus enviou seu Filho ao mundo não para condenar o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por intermédio Dele. 18 Quem crê Nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no Nome do unigênito Filho de Deus. 19 E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. 20 Porque todo aquele que faz o mal aborrece a luz, e não vem para a luz para que suas obras não sejam reprovadas. 21 Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que suas obras sejam manifestas, porque são feitas segundo Deus.

Mas por meio Dele temos salvação, como temos dito. Porém, para alcançar tal mercê da parte de Deus, é preciso acreditar Nele realmente, mas de verdade mesmo. Embora pareça coisa simples, não é tanto assim, e não pode então resultar certo que todos conseguirão o prezado resultado, pois se fosse assim, e se o Altíssimo não rejeitasse a quem tem feito o mal, e aqueles, ficando destituídos da Glória de Deus, recebessem o mesmo pagamento da vida eterna, e não o da condenação eterna, a Bíblia não diria o que aqui acabou de ser citado.
Sem dúvida, Deus quer a Salvação dos seres, mas que dentre todos, seja atingida por quem fizer o bom, quem forem os verdadeiros filhos de Deus, quem, uma vez partam desse mundo, resultem aprovados e comprovados, como parte da Igreja do Deus Soberano, e façam parte ativa e integral das Bodas do Cordeiro.

Assim as coisas, não pode se descartar (como a Escritura não o faz, mas alguns, erradamente, o acreditam que podem sim) a expectativa de condenação eterna, não somente para o diabo, cuja existência também é evidente, senão para os que o ajudam, e para todos os artífices das obras infrutuosas das trevas, das quais, os que temem e amam a Deus, devem se afastar e fugir.

É por isso que o Senhor Jesus Cristo, em Mateus 25, claramente faz diferença entre ovelhas e cabritos, entre os que estão à direita e os que estão à esquerda, entre os que irão ao castigo eterno e os que alcançarão vida eterna.

31 Quando vier o Filho do Homem em Sua Glória, e todos os santos anjos com Ele, então se assentará em Seu Trono de Glória; 32 e todas as nações serão reunidas diante Dele, e separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. 33 E porá as ovelhas à Sua direita, e os cabritos à Sua esquerda.
34 Então, o Rei dirá aos da Sua direita: Vinde, benditos de Meu Pai, possuí como herança o Reino preparado para vós desde a fundação do mundo. 35 Porque tive fome, e Me destes de comer; tive sede, e Me destes de beber; fui forasteiro, e Me acolhestes; 36 estava nu, e Me vestistes; enfermo, e Me visitastes; preso, e Me fostes ver.
37 Então, os justos responderão: Senhor, quando Te vimos com fome, e Te alimentamos? Ou com sede, e Te demos de beber? 38 E quando Te vimos forasteiro e Te acolhemos? Ou nu e Te vestimos? 39 Ou quando Te vimos enfermo ou na prisão e viemos a Ti?
40 O Rei, respondendo, dir-lhes-á: Em verdade, Eu vos digo que, quando o fizestes a um destes Meus pequeninos irmãos, a Mim o fizestes.
41 Então, dirá também aos da esquerda: Apartai-vos de Mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos. 42 Porque tive fome, e não Me destes de comer; tive sede, e não Me destes de beber; 43 fui forasteiro, e não Me acolhestes; estava nu, e não Me vestistes; e, estando enfermo e no cárcere, não Me visitastes.
44 Então, eles também Lhe responderão, dizendo: Senhor, quando Te vimos com fome, com sede, forasteiro, nu, enfermo ou preso, e não Te assistimos?
45 Então, Ele lhes responderá: Em verdade, Eu vos digo que, quando a um destes pequeninos não o fizestes, a Mim o deixastes de fazer.
46 E irão estes para o castigo eterno, mas os justos, para a vida eterna.

 

O Espírito Santo

Do nosso Senhor Jesus Cristo, desprendesse a promessa da vinda do Espírito Santo, do Consolador, como se lê em João 15.

26 Porém quando vier o Consolador, a quem do Pai Eu vos enviarei, o Espírito da verdade, que procede do Pai, Ele dará testemunho sobre Mim.

Contudo trata-se de um compromisso que já estava escrito nos propósitos de Deus, e que se concerta no Novo Pacto, para que desse modo, se dê cumprimento neste tempo, na Igreja, à promessa feita por meio do profeta Joel no capítulo 2.

28 E, depois disso, derramarei Meu Espírito sobre toda carne, e profetizarão vossos filhos e vossas filhas, vossos anciãos sonharão e vossos jovens terão visões.
29 E também sobre os servos e sobre as servas derramarei Meu Espírito naqueles dias.

Viveu-se pois, no meio da festa do pentecostes, quando ao cumprir o Senhor a sua palavra; e sempre que Deus fala, cumpre; descendeu o Espírito, com poder, no meio dos 120 que estavam congregados no aposento alto, segundo diz a Escritura no capítulo 2 de Atos dos Apóstolos.

1 Quando chegou o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; 2 e, de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso que soprava, e encheu toda a casa onde estavam assentados; 3 e lhes apareceram línguas como de fogo, que, repartindo-se, pousaram sobre cada um deles. 4 Todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem.

Faz-se evidente e esplendorosa a Obra Gloriosa do Espírito Santo. Verdadeiramente Ele agiu, como Deus mesmo, noutrora da humanidade e da Igreja, mas a partir desse dia, a sua função no meio dos homens adquiriu outra conotação.

O Espírito Santo se faz evidente no meio da Igreja, principalmente, guiando-a, porque não sendo os homens, as pessoas que orientam a obra do Senhor, senão Ele mesmo o demonstra, Deus mesmo o demonstra, que a Obra é de Deus, do Criador, e não da criatura.
Por isso em Romanos 8 fala com precisão ao respeito da Guiança.

14 Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus.

A Sua presença no meio de nós, a Sua presença no meio da Igreja, da fé da verdade da Obra do nosso Senhor Jesus Cristo, portanto, da existência de Deus mesmo, sendo o Espírito Santo, um só Deus junto com o Pai e o Filho, como se observa em 1 de João 5.

6 Este é Jesus Cristo, que veio mediante água e sangue; não somente mediante água, mas mediante água e sangue. E o Espírito é Aquele que dá testemunho; porque o Espírito é a verdade. 7 Porque três são os que dão testemunho no céu: O Pai, o Verbo e o Espírito Santo; e estes três são um.

A Igreja é guiada, direcionada e governada por Deus, por meio de Seu Santo Espírito, muitas são as funções que Ele realiza hoje no meio de nós, e que se fazem evidentes todos os dias, em diversos lugares do mundo.

Por exemplo, o batismo no Espírito Santo, o qual é a prova confiável da existência e primeira vinda do Senhor Jesus Cristo, como o declarou Jõao o Batista, em Mateus capítulo 3.

11 Eu, na verdade, vos batizo com água, para arrependimento; mas Aquele que vem depois de mim, cujas sandálias não sou digno de levar, é mais poderoso que eu; Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.

Sobre essa mercê e realidade de receber o batismo com o Espírito Santo, o qual significa que Deus, por meio de seu Espírito, entre para morar no nosso coração, e do valor da imposição de mãos para que venha até nós essa benção, realidade que está presente no meio da Igreja, também vale a pena ter presente o que aponta o capítulo 8 de Atos.

14 Quando os apóstolos, que estavam em Jerusalém, ouviram que Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram-lhe Pedro e João; 15 os quais desceram para lá e oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo; 16 porque não havia ainda descido sobre nenhum deles, mas somente foram batizados em Nome do Senhor Jesus. 17 Então, impunham-lhes as mãos, e recebiam o Espírito Santo.

Essa formosa verdade, também é referida pelo Apóstolo Paulo, na sua carta aos Romanos, no capítulo 5, usando palavras poéticas, mas que indicam a mesma benção da qual estamos a falar.

5 e a esperança não confunde; porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações por meio do Espírito Santo que nos foi dado.

Além de morar em nós, nos permite viver a plenitude com Ele, como aconteceu com o Apóstolo Pedro, que tendo recebido o Espírito Santo, diz a Escritura que “foi Cheio”, no momento específico que o precisou, para se dirigir aos governantes do povo que os interrogaram e lhes referir as maravilhas do Senhor, seus planos e seus propósitos. Assim o ensina o livro de Atos dos Apóstolos, no capítulo 4.

8 Então, Pedro, cheio do Espírito Santo, disse-lhes: Governantes do povo e anciãos de Israel, 9 visto que hoje somos interrogados acerca do benefício feito a um homem enfermo e do modo como foi curado, 10 sabei todos vós e todo o povo de Israel que em Nome de Jesus Cristo, o Nazareno, a quem vós crucificastes, e a quem Deus ressuscitou dos mortos, por Ele, este homem está curado em vossa presença.

O Espírito Santo, também se encarrega de que a pregação do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo na Igreja, seja colocado em evidência, no só com as palavras que se emitam ao respeito, desde o púlpito, ou diariamente com o exemplo de vida dos Filhos de Deus, senão que tal pregação, seja acompanhada permanentemente, da demonstração do Espírito e de Poder. Assim pode se observar em 1 de Tessalonicenses 1.

5 porque nosso Evangelho não chegou a vós somente em palavras, mas também em Poder, e no Espírito Santo e em plena convicção, como bem sabeis qual classe de pessoas fomos entre vós e por amor de vós.

Ou também em 1 de Coríntios 2, nas seguintes expressões.

4 e nem minha palavra nem minha pregação foram com palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração do Espírito e de Poder,

Quando chega ao ser humano o batismo no Espírito Santo, também pelo mesmo Espírito, despertam-se e começam a operar na pessoa os dons espirituais que Deus pôs na pessoa. Além de falar em línguas, que como temos dito, é o sinal certo de ter recebido tal benção, bem pode ocorrer que no mesmo momento se façam evidentes outros dons espirituais, como o dom da profecia, como se vê no capítulo 19 de Atos, ou também pode acontecer que tais manifestações se deem mais para frente, em diferentes momentos para o crente.

5 Quando ouviram isso, foram batizados no Nome do Senhor Jesus. 6 Havendo-lhes Paulo imposto as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e falavam em línguas e profetizavam. 7 Eram ao todo uns doze homens.

Embora o que até aqui foi dito sobre o Espírito Santo é uma verdade formosa, segue sendo pouco, pois à luz da Bíblia e da Doutrina, os exemplos são incontáveis.

Contudo, é preciso que se mencione o protagonismo da Obra Gloriosa do Espírito Santo em nossas vidas, que operando um milagre, nos ajuda a mudar a nossa má forma de viver, e transforma nossos corações, para que agrademos a Deus em tudo, e o amemos com um coração sincero. Basta então lembrar o que em Tito, capítulo 3, diz a Bíblia.

4 Quando apareceu a benignidade de Deus, nosso Salvador, e Seu amor para com os homens, 5 salvou-nos, não em virtude de obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo Sua misericórdia, mediante a lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo,

Pages: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13